Sagas, O Que o Personagem Sagas Faz Com Seu Tempo

Sagas, jornadas por onde o herói transitou para alcançar a apoteose, a divinização, o fim de todos os dilemas, conhecido infantilmente como “…E viveram felizes para sempre”

O trabalho dos personagens é viverem suas sagas, o termo roubei dos otakus, pessoas fãs de mangás e animes. Os otakus roubaram o termo dos gregos, que diziam que todo herói tem sua saga, a sucessão de seus feitos registrados pela cultura na forma de épicos, baladas e anedotas.

Em mitologia grega é indivisível o personagem de sua saga, Aquiles, Menelau, Perseu, Teseu, até os filósofos, Platão, Demócrito, tinham sua saga, seus momentos épicos cantados como heróis.

Fazendo jus ao termo original, toda narrativa possui uma estrutura fundamental intitulada saga, ou as reações dos personagens ao impacto causado pelos dilemas.

A saga pode ser desde uma coisa simples como Colombo ordenando um ajuste nas velas para aproveitar o vento do Atlântico Norte, até quando Quarterman percebe que a jóia do Nilo estava com eles o tempo todo, no filme homônimo, A Jóia do Nilo.

Uma saga pode ser uma pequena cena, ou uma coleção de pesados livros inteira, as Crônicas de Richard Sharpe são por si só uma longa sucessão de reações de Sharpe as novas formas da Inglaterra fazer guerra e isso sozinho é uma saga.

Uma saga também é quando Eragon tenta abençoar uma criança, na tentativa de ser o cavaleiro de dragão que o povo espera que ele seja.

Toda saga em uma narrativa bem estruturada causa sombras.

Quando algo inesperado acontece pode ser que isso faça parte da saga, ou da sombra, em que o autor vai atrelar continuidade pode determinar o sucesso ou fracasso da narrativa em credibilidade.

Narrativas mais planas, com dilemas constantes, mas vencíveis, normalmente agrupam sagas a outras sagas criando uma impressão de final feliz, mesmo que não haja um saudável desfecho (quase todos os filmes da franquia Transformers) é o típico “destruímos a ameaça intergalactica, senhor presidente” com o pano de fundo da cidade em ruínas.

No comments yet.

Deixe uma resposta